Avançar para o conteúdo principal

Overclock do Raspberry Pi 2 e primeiras impressões...

Este novo modelo Raspberry consegue ser um produto ainda melhor na relação "custo-beneficio" que o primeiro modelo foi há três anos atrás!


Se vale a pena ou não o upgrade para este novo SoC Quad-Core ? Eu acho que sim. Sobretudo para quem o usa como Media Center com o Kodi, ou ainda mais se pretendem ligar-lhes um teclado e um rato para um desktop com a distribuição oficial do Raspbian.

Tenho os meus "dois" novos Raspberry a cerca de uma semana e do que já testei, confirmo que este novo modelo é bastante mais rápido. No OpenELEC a navegação nos menus do Kodi acontece sem atrasos e agora até podemos usar outros skins bem mais pesados e que puxam mais recursos como o Aeon Nox. Ainda no OpenELEC e com o addon do RetroArch já corri alguns jogos da PlayStation como o Tekken 3 nuns fantásticos 50 a 60 fps!!

Já no Raspbian, abrir o Libreoffice ou o Gimp também se faz sem aborrecimentos. E navegar na web com o Epiphany-Browser, é agora um experiencia que vale bem a pena neste pequeno computador.

Embora não veja ainda como uma necessidade, o overclock deste novo modelo também já é possível de forma oficial na "raspi-config". Com as seguintes definições aplicadas no ficheiro config.txt:

arm_freq=1000
core_freq=500
sdram_freq=500
over_voltage=2
force_turbo=1


Sem overclock este novo Raspberry funciona de forma dinâmica entre os 600MHz e os 900MHz. Com estas definições, colocamos o Pi a trabalhar sempre numa frequência de 1000MHz.

Comentários

  1. Nuno, umas perguntinhas.

    Vale apena investir no Pi 2 ou partir para um ODROID-C1?

    Como está o desempenho do Pi 2 em rede com samba?

    PS: O Pi têm, tinha dois grandes defeitos para mim, mesmo usando um sistema pequeno; um é o compartilhamento da Ethernet, outro era os 512 de RAM. Uso o Pi Core, modificado, como sistema e a "turma" do Tiny Core está a desenvolver uma verão armv7.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ODROID-C1 é melhor em hardware. Mas qualquer um dos modelos do Raspberry têm melhor suporte e em termos de media center se for o caso o Pi esta muito melhor atualmente que o C1.

      C1 o que têm de bom além rede Gigabit é o suporte para H.265.

      O RPi2 em termos de rede samba é mais rapido mesmo com a placa igual ao anterior modelo porque este com mais "músculo" desenrasca-se bem melhor.

      Eliminar
    2. Obrigado,

      Acho que vou de Pi 2 mesmo já que o objetivo é um servidor de arquivos/backups, sem pretensões a ser media center.

      Eliminar

Enviar um comentário

Popular no Blogue:

OpenELEC ou LibreELEC ?

Por aqui já sabem que sou utilizador do OpenELEC há bastante tempo. É uma das minhas distribuições de Linux favoritas sendo sem duvida a minha favorita para utilizar com o popular Kodi. Este OpenELEC acaba por não ser um sistema operativo como os outros, pois ele foi criado e pensado com uma unica finalidade... utilizar com XBMC/KODI.

É um sistema que utiliza o minimo de recursos necessários para aproveitar totalmente às muitas funcionalidades do Kodi. Não precisamos instalar software ou outros programas, nem muito menos preocuparmo-nos com notificações de tarefas do sistema operativo porque o OpenELEC transforma qualquer PC numa "set-top-box" que sem problemas só serve para aquilo ;)

Como configurar e usar uma NanoStation:

Desde que tenho este blog sempre tenho recebido alguns e-mails de leitores pedindo-me ajuda neste ou naquele ponto, tudo relacionado obviamente com alguns posts que tenho feito. Um dos casos mais comuns é precisamente sobre o material da Ubiquiti mais concretamente as NanoStation e as dificuldades iniciais que afinal são comuns de quem se inicia...
Assim aqui ficam estas breves e básicas instruções para colocarem as vossas NanoStations a funcionarem muito facilmente em 7 passos logo que sejam desempacotadas :) Atenção que é um exemplo para uma NS com as definições de fabrica para funcionar em modo de cliente...

Alien Covenant (2017)

Alien Covenant (2017) No filme anterior lembro-me perfeitamente de saír da sala de cinema em satisfação total e com a ideia que poderíamos ter mais filmes e sequelas sem recorrer a essa estranha forma de vida alienígena que tanto sucesso fez no cinema. Pois nada disso aconteceu com este Alien Covenant!!
Prometheus em 2012 não foi muito bem recebido e acabou incompreendido pela maioria. Talvez por isso esta sequela de Prometheus acaba por ser um "jogar em casa" regressando às origens num filme que acaba por ser também um remake do Alien original. Ou pelo menos funciona como tal podendo explicar a origem desta estranha criatura.
Há que dizer já... Alien Covenant é um bom filme muito bem ambientado com uma excelente imagem e fotografia cheia de cores e com poucos ambientes escuros como eu aprecio bastante. O elenco possui algumas estrelas que estão pouquíssimos minutos em cena, depois os restantes cientistas todos são "esquecíveis" e só mais uma vez o android David e …